O baterista que não era só um baterista (ou Steve Hewitt fora do Placebo)

11out07

É bem o que o título diz: Steve Hewitt dava ao Placebo exatamente o que lhe faltava e passará a faltar a partir de agora. Algo que você vê (ou não) impresso no encarte, sente na música e não entende o porquê, mas sabe que está lá ao levantar da primeira baqueta. Bandas (ou fãs) [ou gravadoras] {ou quem você quiser} costumam ostentar alguns de seus integrantes enqüanto outros ficam ocultos por sombras, cortinas ou seus próprios instrumentos. Invariavelmente, porém, o inconsciente coletivo sabe que, não fosse pelo conjunto harmônico entre todos, inclusive os fãs, o conceito de bandas como o conhecemos teria sido mais uma invenção do século XX.

Hewitt e sua saída (teoricamente) amigável do Placebo causaram mais que surpresa em quem se acostumou a procurar primeiro pelo baterista no início de cada show assistido. A notícia tavez tenha sido antecipada em pensamentos pessoais contrários à “política” de shows do Placebo, como raramente creditar e valorizar os músicos adicionais que acompanham a banda em turnê. Mais: a ausência de QUALQUER menção ao nome de Hewitt no disco que comemora os dez anos do primeiro álbum, mesmo que pareça correta em função da presença de outro baterista à época, desvaloriza o conjunto existente hoje. Tenho certeza de que não fui o único a procurar em vão por Steve, mesmo nas letras menores dos créditos de um álbum lançado por um Placebo atual.

De qualquer forma, a cisão é divulgada como devida a divergências musicais e pessoais, o que não exclui alguns dos motivos citados aqui e abre a possibilidade para inúmeros outros. Por conta disso, ao invés de saudosismo de uma época que ainda não acabou (basta visitar http://www.placeboworld.co.uk), prefiro aguardar notícias sobre futuros projetos de Hewitt, caso não tenha decidido abandonar a música.

Brian Molko e Stefan Olsdal agora podem dividir os holofotes sem qualquer peso na consciência: o casamento a três acabou.

***

Notícia completa no Omelete.

Anúncios


One Response to “O baterista que não era só um baterista (ou Steve Hewitt fora do Placebo)”

  1. 1 Dani

    Primeiro a notícia bomba surgiu no My Space…mas eles decidiram tirar de lá e colocar logo no site oficial. E, agora, as comunidades e sites brasileiros de fãs do Placebo conclamam suicídios coletivos. Happenings mórbidos à parte, realmente a notícia é triste. O cara sabe bem o que faz.

    Dúvida: briguinhas e pirraças teriam vetado Steve do disco que comemora os dez anos do primeiro álbum? Bastidores a se considerar.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: